sábado, 24 de setembro de 2011

Obras de Marciano Schmitz.

Queridos amigos,
Antes de mostrar algumas pinturas do artista gaúcho Marciano Schmitz, faço questão de transcrever para vocês, um belo texto que aparece na apresentação do seu site oficial. 
Sei que depois de o lerem, entenderão porque não poderia deixar de mostrar a vocês.
-o-o-o-o-o-

"Em algum tempo, em algum lugar, um homem narrou numa caverna um feito seu. Apenas uma cena cotidiana, uma cena de caça. Este feito o fez parar o mundo. Agora havia uma fenda, uma porta havia sido aberta. O mundo vivido e o mundo narrado, a magia havia começado, o poder estava instalado. O poder da imagem. Com a imagem veio a linguagem do que chamamos alma. Veio a captura das realidades, a captura do tempo. O atrito desses dois mundos gerou o discurso, a introspecção, gerou arte. Arte, palavra usada para definir conhecimento.


Em algum tempo, em algum lugar, um homem vivia imerso num oceano de imagens. Eram tantas como tantos eram os homens. O poder da imagem sofreu um colapso, dizer tudo, a toda hora em todo o lugar. As máquinas aprenderam a fazer imagens em processo exponencial e a porta dos dois mundos entupiu. A imagem não discursava mais, apenas vendia o cotidiano e a alma ficou descartável, aterrada em algum lixão. A tecnologia nos venderia uma nova na segunda-feira.


Em algum tempo, em algum lugar, um homem veio ao campo, ouviu o vento, viu nuvens, que mais pareciam montanhas flutuantes. Viu o traço do vôo de um pássaro solitário, o sol dividido em dois pelo horizonte, o latido de um cão à distância. No pé do ouvido, o vento lhe narrou imagens e lhe falou sobre atemporalidade. Munido de vontade, pegou pincéis e começou a pintar novamente a porta."

Site Oficial: 
http://www.marcianoschmitz.com.br/site/artista.php?lk=artista









Um comentário: